Home Institucional Produtos e Serviços Estatísticas Newsletter Ferramenta Local MailingNet Fale Conosco
Central de Atendimento: (11) 3341-2800
Login
Senha
Esqueci minha senha
Leitura de conteúdo
Pautas | SMF Comunicação Integrada | 20/03/2017 15:04:25 | 380 Acessos
Brasil tem índices alarmantes de depressão e ansiedade
Segundo a OMS país está entre os cinco mais incidentes do mundo

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou no final do mês de fevereiro de 2017 dados sobre a incidência de transtorno de ansiedade e de depressão na população mundial. O Brasil ficou em destaque quando comparado com outros países das Américas, figurando em primeiro lugar com a maior incidência de transtorno de ansiedade, e garantindo o 2º lugar na incidência de depressão.

As pesquisas revelaram que 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade e a depressão afeta 5,8% da população. Dados como estes não devem passar despercebidos, são problemas de saúde que precisam de atenção. É o chamado “mal silencioso” que infelizmente ainda está envolto em preconceitos e falta de informação.

Ainda de acordo com a OMS, no Brasil, em 2015, eram 11,5 milhões com depressão e 18,6 milhões com transtorno de ansiedade. Para a psicanalista Claudia Livingston Ades, Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP e integrante do quadro do Zenklub, “O individualismo e a carência das relações pessoais - onde há trocas afetivas - são fatores que contribuem para o aumento de depressão e da ansiedade na população”.

A ansiedade é um importante sinal de alerta diante do perigo; porém, quando crônica, torna-se preocupante”, reforça a psicanalista.

”No Brasil, especificamente, estamos passando por mudanças em diversas esferas, o brasileiro desenvolveu um estado de alerta porque vive constantemente com medo. Medo da violência, do desemprego, das incertezas e outros fatores. ” completa Claudia Livingston.

São 322 milhões de pessoas com depressão em todo o mundo – 4,4% da população e 18% a mais do que há dez anos. No cenário mundial, as mulheres são as principais afetadas: 5,1% são depressivas. Entre os homens, a taxa é de 3,6%. Claudia afirma que “a variação hormonal e o acúmulo de responsabilidades que as mulheres exercem hoje em dia, são alguns dos fatores que podem contribuir para essa incidência”.

Segundo a OMS, a depressão é a principal causa de mortes por suicídio, com cerca de 800 mil casos por ano. Além da depressão, a entidade indica que, ao redor do mundo, 264 milhões de pessoas sofrem com transtornos de ansiedade, uma média de 3,6%. O número representa uma alta de 15% em comparação a 2005.

Diante deste cenário, é essencial solucionar e principalmente, prevenir a depressão e o transtorno de ansiedade, segundo Claudia Livingston “Fazer terapia é essencial para a pessoa entrar em contato com o que ela está sentindo. O profissional dá um feedback, consegue nomear o que ela está sentindo e assim, estimular a pessoa a prestar mais atenção em si mesma e em suas reações físicas e causas. Quando ela tiver um incômodo externo, reagirá de forma adequada e não ignorará, evitando que o quadro piore” continua, “Você não pode ignorar suas emoções, é preciso ter consciência do que você está sentindo. ”

Diante deste cenário, é essencial solucionar e, principalmente, prevenir a depressão e o transtorno de ansiedade. Segundo Claudia L. Ades, “A terapia auxilia o indivíduo a entrar em contato com o que sente, evitando que o quadro piore”.

Os 5 países com as maiores taxas de depressão de acordo com a OMS:

Ucrânia (6,3%)
Austrália (5,9%)
Estônia (5,9%)
Estados Unidos (5,9%)
Brasil (5,8%)

Tempo para terapia

A depressão e a ansiedade definitivamente são condições que não devem ser ignoradas. Mesmo sabendo da importância do tratamento e do pedido de ajuda, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a terapia. “Há muitos mitos em relação à terapia, muito preconceito que envolve a prática e, por falta de informação, muita gente deixa de aproveitar os inúmeros benefícios da terapia”, destaca Rui Brandão, fundador do Zenklub.

Em grandes centros, onde as taxas de estresse e ansiedade tendem a ser mais elevadas, as pessoas ainda esbarram em outro fator crítico: o tempo. Cada vez mais escasso, o tempo é um empecilho na busca por tratamento. “Se alguém, por exemplo, opta por usar o horário de almoço para fazer terapia, ela deve considerar o tempo da sessão mais o deslocamento. Muitas vezes isso ultrapassa o tempo disponível para se ausentar”, reflete Brandão.

Ferramentas como o Zenklub proporcionam mais autonomia e controle do tempo. “Se o único horário é a hora do almoço, por exemplo, a pessoa pode pegar seu computador e ir para qualquer lugar para conversar com seu terapeuta. Sem tempo de deslocamento e trânsito” revela. “Além de proporcionar maior autonomia para escolha do local, a plataforma Zenklub ainda tem um custo-benefício muito viável”, completa Brandão.

Claudia Livingston Ades, especialista em Psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae e mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP, realiza atendimentos pelo Zenklub, e reitera a importância da plataforma. “Diante da necessidade cada vez mais latente de separar um tempo para cuidar de nós, o Zenklub facilita demais essa prática, pois elimina uma série de entraves na busca pelo apoio psicológico. É bom para quem busca e para quem oferece o serviço, fazendo com que a sessão aconteça independentemente da sala, cidade ou estado”, diz.

Sobre o Zenklub:

O Zenklub é uma plataforma online que oferece sessões de terapia por vídeo-chamada, com o objetivo facilitar o acesso aos cuidados com a saúde mental. A startup brasileira foi criada em 2016, a partir da percepção do médico e CEO da empresa, Rui Brandão, de que o sistema médico estava mais focado em curar doenças do que em promover cuidados em relação à saúde mental. Em parceria com Tiago Curião, que também é sócio e programador, o Zenklub quer mudar, com o apoio da tecnologia, a maneira que as pessoas encaram a terapia e a importância da saúde mental.

O Zenklub tem atuação nacional com flexibilidade de horário e valores de sessões mais acessíveis, possibilitando ao interessado atendimentos personalizados, quando e onde a pessoa quiser.

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA
SMF COMUNICAÇÃO INTEGRADA

Leila Ferraz | (11) 4107-7890 | leila@smfcomunicacao.com.br
Stéphanie Oliveira | (11) 3060-9684 | stephanie@smfcomunicacao.com.br

Compartilhar
Sala de imprensa SMF Comunicação Integrada
Empresa SMF Comunicação Integrada
Contato Stéphanie Oliveira
E-mail stephanie@smfcomunicacao.com.br Fone (11) 41065944
Editoria (s) Nacional, Saúde
"A Maxpress publica pautas e notas de clientes a quem cabe toda e qualquer responsabilidade pelas informações nelas contidas, e pelos direitos eventuais de autoria e de imagem."
PROMOVE PRESSÃO APM VIDA TECH PNI
PEDE ALIADOS GRIPE GESTÃO ORIENTE CONSELHEIRO
MÉDIO FÍSICOS TOMÉ NECK CELULAR CHEGA
MELHORA EUROPA CIENTÍFICA CAUSA ALTA Lafaiate
VACINA RUGAS POSIÇÃO SAÚDE FORENSE doença
REUNIÃO HOSPITAIS COORDENADORA OLHA SAUDÁVEL ABN
POPULAÇÃO EXERCÍCIOS ENVELHECER RIO Software PARKINSON
CLARO PSIQUIATRIA CONSOLIDA PAIS infartos CAMPANHA
PESCOÇO BRASILEIRO RAZÕES DEPRESSÃO Mindfulness anos
busca avançada
MAXPRESS
MAXETRON
Serviços de Tecnologia
e Informações LTDA
Copyright© 2010 Maxetron.
Todos os direitos reservados.
All rights reserved
Política de Privacidade
Portal Maxpress
Grupos editoriais
Arte e Lazer
Feminino e Masculino
Ciência e Ambiente
Geral
Comunicação
Nacional e Mundo
Economia e Finanças
Saúde
Empresas
Transportes
Esportes
Turismo
Portais
Institucional
Produtos e Serviços
Anúncio de banner
Contato
Fale conosco
MaxPR
Públicos
Imprensa Brasil
Corporativo
Governo Brasil
Imprensa latina
Vip
Ferramentas
Distribuidor
Monitor
Prêmios
Serviços
Mailing avulso
Job
Facilidades
Saídas
Minha conta