Home Institucional Produtos e Serviços Estatísticas Newsletter Fale Conosco
Central de Atendimento: (11) 3341-2800
Login
Senha
Esqueci minha senha
Leitura de conteúdo
Pautas | TV Cultura | 01/07/2013 12:02:54 | 153 Acessos
Provocações entrevista fundador do Balé Folclórico da Bahia
Visualizar imagem
Walson Botelho conversa com Antônio Abujamra nesta terça-feira (2/7), às 23h, na TV Cultura

Antônio Abujamra recebe o coreógrafo e fundador do Balé Folclórico da Bahia, Walson Botelho, nesta terça-feira (2/7), no Provocações. O programa vai ao ar a partir das 23h, na TV Cultura. Durante a entrevista, Botelho relata a trajetória da companhia, os preconceitos que sofreram, do sucesso internacional e do projeto social dedicado a crianças do Pelourinho.

Hoje com 25 anos, o Balé Folclórico da Bahia é referência nacional e internacional. Walson relembra das dificuldades que encontraram no início de carreira. O grupo enfrentou discriminação por ser composto por negros e por dançar música folclórica. “Éramos revistados e obrigados a entrar pela entrada de serviço”, explica.

Essa discriminação não impediu do grupo conquistar prêmios e projeção internacional. Para solucionar a questão, adotou a seguinte conduta: ‘Nós vamos entrar pela porta de serviço porque nós estamos trabalhando. Mas a grande diferença é que saímos pela frente com limusine e champanhe, essa é a grande diferença”.

Segundo o coreografo, o momento mais emocionante da companhia foi quando receberam o convite do governo Alemão para participar do Festival em Berlim, na Alemanha. “Talvez foi a coisa mais emocionante que nós passamos nesses 25 anos. E foi um sucesso muito grande. Nós fomos convidados para um espetáculo, neste festival, e fizemos outros 15 espetáculos, não somente neste festival, mas em diversas outras localidades na Alemanha”.

Ele conta que sempre teve objetivo de transformar o Viva Bahia em uma companhia profissional para que seus integrantes pudessem viver de sua arte. “Porque não ganhar dinheiro? Nós éramos uma companhia internacional conhecida pelo mundo inteiro. Mas era um grupo onde os componentes eram pedreiros, feirantes, pintores, mecânicos de dia e estrelas à noite. Viajavam o mundo inteiro, muitos analfabetos, não escreviam, nem liam, mas falavam inglês, francês, alemão, russo”, diz.

Em 1992 fez sua estreia internacional no renomado Festival da Alexander Platz, em Berlim, na Alemanha. Uma das apresentações de destaque foi na Bienal de Dança de Lyon, na França, quando se consolidou entre as mais importantes companhias de dança da atualidade.

Relata ainda a ajuda que recebeu de Antonio Carlos Magalhães: “Foi no governo dele que o Balé Folclórico da Bahia passou a se apresentar no teatro Miguel Santana, através do projeto criado por ele, quando na reforma do Pelourinho, o projeto chamado Pelourinho, Dia e Noite. O teatro Miguel Santana, que era um espaço maravilhoso, que estava fechado há muitos anos, foi reformado para o Balé Folclórico da Bahia. Foi uma maneira indireta que ele teve de nos ajudar, sem que estivesse nos apadrinhando”.

Walson revela também que a companhia durante esses anos só contou com o apoio cultural. “Nunca tivemos um patrocínio em 25 anos. Nós recebemos um apoio do Governo do Estado através da Secretaria de Cultura. [...] A gente termina utilizando todo o recurso das turnês internacionais, que é o que mantém a gente, na realidade, o ano inteiro e a gente não consegue fazer mais nada”.

O coreógrafo ainda explica o trabalho que sua companhia realiza com crianças do Pelourinho: “Os meninos de rua não permitiam que a gente trabalhasse normalmente. Então eles gritavam, jogavam pedra, faziam de tudo pra perturbar a ordem do nosso trabalho. Então pensamos, porque não trazer esses meninos pra dentro da sala de aula, para os ensaios, para eles verem o trabalho que a gente faz? E foi assim que começou o Balé Júnior, que faz 15 anos agora. Hoje nós atendemos mais de 300 crianças, e não só no Pelourinho, mas de toda Salvador, toda área metropolitana”.

Compartilhar
Sala de imprensa TV Cultura
Empresa FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA CENTRO PAULISTA RÁDIO E TV EDUCATIVA
Contato Alexani Barbosa
E-mail alebarbosa@tvcultura.com.br Fone (11) 21823282
Editoria (s) TV e Rádio
"A Maxpress publica pautas e notas de clientes a quem cabe toda e qualquer responsabilidade pelas informações nelas contidas, e pelos direitos eventuais de autoria e de imagem."
Não há Conteúdos relacionados.
Não há Tag's relacionadas.
busca avançada
Banner Jornal da Usp
MAXPRESS
MAXETRON
Serviços de Tecnologia
e Informações LTDA
Copyright© 2010 Maxetron.
Todos os direitos reservados.
All rights reserved
Política de Privacidade
Portal Maxpress
Grupos editoriais
Arte e Lazer
Feminino e Masculino
Ciência e Ambiente
Geral
Comunicação
Nacional e Mundo
Economia e Finanças
Saúde
Empresas
Transportes
Esportes
Turismo
Portais
Institucional
Produtos e Serviços
Anúncio de banner
Contato
Fale conosco
MaxPR
Públicos
Imprensa Brasil
Corporativo
Governo Brasil
Imprensa latina
Vip
Ferramentas
Distribuidor
Monitor
Prêmios
Serviços
Mailing avulso
Job
Facilidades
Saídas
Minha conta