Home Institucional Produtos e Serviços Estatísticas Newsletter Fale Conosco
Central de Atendimento: (11) 3341-2800
Login
Senha
Esqueci minha senha
Leitura de conteúdo
Pautas | TV Cultura | 12/08/2013 14:13:28 | 50 Acessos
Ferréz conta no Provocações que vende roupa para poder ser um escritor
Visualizar imagem
A afirmação está programa desta terça-feira (13/8), às 23h, na TV Cultura

O convidado do Provocações é um nome inseparável da história da cultura das periferias urbanas no Brasil. O escritor Ferréz é reconhecido tanto no bairro do capão Redondo, em São Paulo, como fora do Brasil. Durante a conversa com Antônio Abujamra, ele conta que precisa vender roupas para poder ser um escritor. O programa vai ao ar nesta terça-feira (13/8), às 23h, na TV Cultura. 
Ferréz, cujo nome verdadeiro é Reginaldo Ferreira da Silva, faz logo uma provocação, ao dizer: “Sou um mero rascunho do que já fizeram na literatura”. Ele admite que sua obra ficou marcada por temas da periferia e essa temática o incomoda, afirmando que , com essa pressão, um escritor com essa característica não consegue escrever um romance.

Durante a conversa, Ferréz fala sobre a situação dos diversos artistas de periferia que surgiram nos últimos anos e comenta: “Não acho que tudo que vem da periferia é bom. Tem cinema que é bom, tem cinema que é ruim; tem literatura que é boa; tem literatura que é ruim”. As dificuldades dos escritores para conseguirem se destacar é outro ponto abordado por ele. “Tem muitos escritores que estão com a sua obra dentro da gaveta, que não têm uma editora para poder mostrar. Mas nenhum de nós ficou reclamando. Fomos para o combate”, diz.

Reconhecido internacionalmente por sua literatura, Ferréz é consciente sobre esse aspecto e fala que isso não o distancia de suas raízes, explicando que ele acorda todo dia na periferia. “A gente pode até comer na mesa do patrão, mas volta pra casa pra dormir”, sentencia.

A respeito do amadurecimento de seus textos, o escritor diz: “Eu achava que o assunto era mais importante do que a qualidade do texto, acho ainda que o autor tem um cunho social, o assunto é muito importante, mas a qualidade do texto também é a nossa ferramenta. Então, a gente tem que se aprimorar. Hoje sou um cara que estuda muito mais do que estudava lá atrás”.


Crítico ácido, Ferréz é colaborador da edição brasileira do jornal Le Monde Diplomatique e da Revista Fórum, nas quais escreve opiniões sobre diversos assuntos. Quando questionado sobre a educação no país, diz: “os professores tinham que ser treinados para ter amor pela literatura, porque a escola é uma assassina de leitores, quando ela manda resumir um livro em 20 dias ela assassina qualquer tipo de leitor futuro.”

Antonio Abujamra lê Keir Hardie.

Compartilhar
Sala de imprensa TV Cultura
Empresa FUNDAÇÃO PADRE ANCHIETA CENTRO PAULISTA RÁDIO E TV EDUCATIVA
Contato Maria Ângela
E-mail maria.angela@tvcultura.com.br Fone (11) 21823282
Editoria (s) TV e Rádio
"A Maxpress publica pautas e notas de clientes a quem cabe toda e qualquer responsabilidade pelas informações nelas contidas, e pelos direitos eventuais de autoria e de imagem."
Não há Conteúdos relacionados.
Não há Tag's relacionadas.
busca avançada
Banner Jornal da Usp
MAXPRESS
MAXETRON
Serviços de Tecnologia
e Informações LTDA
Copyright© 2010 Maxetron.
Todos os direitos reservados.
All rights reserved
Política de Privacidade
Portal Maxpress
Grupos editoriais
Arte e Lazer
Feminino e Masculino
Ciência e Ambiente
Geral
Comunicação
Nacional e Mundo
Economia e Finanças
Saúde
Empresas
Transportes
Esportes
Turismo
Portais
Institucional
Produtos e Serviços
Anúncio de banner
Contato
Fale conosco
MaxPR
Públicos
Imprensa Brasil
Corporativo
Governo Brasil
Imprensa latina
Vip
Ferramentas
Distribuidor
Monitor
Prêmios
Serviços
Mailing avulso
Job
Facilidades
Saídas
Minha conta