Home Institucional Produtos e Serviços Estatísticas Newsletter Fale Conosco
Central de Atendimento: (11) 3341-2800
Login
Senha
Esqueci minha senha
Leitura de conteúdo
Pautas | Em Pauta Comunicação | 10/12/2014 12:21:50 | 442 Acessos
"Desenvolver talentos é única forma de sair da mesmice", diz especialista em desenvolver talentos

“Desenvolver talentos é única forma de sair da mesmice, mesmo num mercado com previsão de pouco crescimento”, diz especialista
quando a produção está em baixa é que se deve voltar a atenção para o treinamento, pois há tempo para isso

O ano de 2015 será bastante desafiador para alguns segmentos, principalmente em termos de crescimento econômico. Exatamente por isso, as empresas devem aproveitar esse momento e investir em treinamento e desenvolvimento, repensar processos e mudar procedimentos. “Treinar é desenvolver o talento humano e, para desenvolvê-lo, é preciso maturação”, avalia Alfredo Castro, sócio-diretor da MOT, empresa especialista em desenvolver talentos. No entanto, segundo ele, nem todas as corporações têm essa postura, o que pode gerar problemas em um futuro próx imo.


Segundo o especialista – que ministrou palestras e treinamentos em diferentes países neste ano de 2014 – metade das empresas brasileiras está dimensionando os treinamentos de 2015 com timidez, “um erro estratégico”, defende. “A outra metade está investindo pesado nesse foco, como é o caso da GE, que inaugurou um centro de treinamento no Rio de Janeiro, antecipando-se às demandas que estão por vir e dando um passo ousado em relação ao futuro. Também percebo um movimento de empresas que estão criando suas Universidades Corporativas, o que é muito bom”.


Para Castro, a empresa tem que decidir aonde ela quer chegar em um futuro próximo, pois, se não investir, terá problemas já em 2015 ou 2016. “Treinar é um processo que exige maturação. É quando a produção está em baixa que se deve voltar a atenção para o treinamento, pois há tempo para isso.”


Quem quiser fazer a diferença em 2015, usando o T&D como caminho, precisa, ainda, seguir outros caminhos importantes: voltar os esforços para recompor a liderança; levar os mais jovens a entender a importância de valorizar as gerações mais maduras e fazer com que as equipes percebam que essa convivência é positiva, pois os mais jovens são capazes de se adaptar muito mais facilmente às novas tecnologias.

Paradoxo - No Brasil, há um paradoxo tem sua origem no modelo de liderança e na falta de investimento em treinamento. Há um índice crescente de desemprego e, ao mesmo tempo, vagas em aberto. Castro explica: “Isso acontece porque não há profissionais capacitados para preenchê-las. Outro aspecto é a inquietação dos profissionais que desejam sair das organizações onde trabalham, mesmo com o mercado oferecendo tão poucas oportunidades. É resultado de um modelo de liderança que, muitas vezes, não consegue manter a motivação nem reter talentos.”


Retenção de talentos, inclusive, ainda é um problema a ser vencido. Na visão de Alfredo Castro, “é a única forma de sair da mesmice”. Para ele, talento pode ser definido como uma demonstração de resultados com competências acima da média. “Por isso, para reter talentos, é preciso identificar quem está acima da média, quem aceita atividades desafiadoras com criatividade, aplicando inovação”.

Problemas à vista - Existem dois tipos de profissionais e de empresas: consumistas e criadores. Quanto menor o investimento em talento, mais a empresa se torna consumista, ou seja, ela vai apenas consumir soluções prontas, em vez de criar suas próprias soluções. “Isso faz com que ela se prenda à sua finitude e, com isso, irá retroceder em 2015. Já o perfil criador cria oportunidades, espaços e soluções novas. Isso é muito bom, pois os clientes não são fiéis às marcas. Eles são fiéis à inovação, aos benefícios que cada produto ou serviço traz, aos resultados concretos. Quando uma empresa começa a perder clientes é um indício de que está se tornando consumidora e que precisa mudar isso&rd quo;, alerta Castro.

E mesmo neste momento tão delicado do mercado, não adianta as empresas e seus profissionais quererem estabilidade. “Estamos em um momento de muita volatilidade e os líderes precisam se preparar para enfrentar este momento. Há um termo em inglês – VUCA – que traduz isso. Essa sigla pode ser traduzida por: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade. Para lidar com isso, os líderes precisam ter Visão, Entendimento, Clareza e Agilidade”, explica o especialista.

Sobre a MOT

A MOT – Treinamento e Desenvolvimento Gerencial – é uma empresa de soluções em treinamento, desenvolvimento e gestão de pessoas, especialista em desenvolver talentos. Desenvolve programas, palestras, projetos e processos de mudança para levar seus clientes – empresas dos mais variados segmentos – a conquistar competitividade e excelência de desempenho em seus mercados. Formada por uma equipe de cerca de dez profissionais, a MOT é liderada pelos diretores-sócios Alfredo Castro e Valéria José Maria.

Sobre Alfredo Castro

Um especialista em gestão, consultor, autor e palestrante internacional. Assim pode ser definido Alfredo Castro, profissional com formação multidisciplinar (Finanças, Recursos Humanos, Marketing e Liderança), com uma trajetória profissional em vários países e em segmentos diferenciados.

Castro é Presidente da MOT Training and Development (USA) e membro do Advisory Committee da ASTD (American Society for Training and Development), em Washington, e atua como conselheiro no Brasil e no exterior. É também diretor técnico da ABTD – Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento - e membro de comissões do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Além de rea lizar palestras sobre Liderança, Storytelling, Novas Gerações e Gestão Empresarial (em três idiomas), atua também como professor de cursos de MBA da FIA/USP, além de prestar consultoria pela MOT – Treinamento e Desenvolvimento Gerencial, da qual é diretor-sócio.

Informações para a imprensa

Em Pauta Comunicação

(11) 3567-7854 / 3567-7855

Simone Valente – (11) 97666-7022 - simone@empautacomunicacao.com.br

Cristina Thomaz – (11) 99666-5932 / 94730-6616 – ID 35*2*86267 – cristina@empautacomunicacao.com.br

Compartilhar
Sala de imprensa Em Pauta Comunicação
Empresa EM PAUTA COMUNICAÇAO ASSESSORIA E PUBLICIDADE LTDA
Contato Simone Valente
E-mail empauta@empautacomunicacao.com.br Fone (11) 35677854
Editoria (s) Recursos Humanos
"A Maxpress publica pautas e notas de clientes a quem cabe toda e qualquer responsabilidade pelas informações nelas contidas, e pelos direitos eventuais de autoria e de imagem."
Não há Conteúdos relacionados.
Não há Tag's relacionadas.
busca avançada
Banner Jornal da Usp
MAXPRESS
MAXETRON
Serviços de Tecnologia
e Informações LTDA
Copyright© 2010 Maxetron.
Todos os direitos reservados.
All rights reserved
Política de Privacidade
Portal Maxpress
Grupos editoriais
Arte e Lazer
Feminino e Masculino
Ciência e Ambiente
Geral
Comunicação
Nacional e Mundo
Economia e Finanças
Saúde
Empresas
Transportes
Esportes
Turismo
Portais
Institucional
Produtos e Serviços
Anúncio de banner
Contato
Fale conosco
MaxPR
Públicos
Imprensa Brasil
Corporativo
Governo Brasil
Imprensa latina
Vip
Ferramentas
Distribuidor
Monitor
Prêmios
Serviços
Mailing avulso
Job
Facilidades
Saídas
Minha conta